• Parque das Palmeiras

Como lidar com o luto infantil?

Cuidar da saúde mental dos pequenos em um momento tão difícil não é tarefa fácil, e saber como comunicar uma criança que um ente querido faleceu pode evitar traumas futuros, pensando nisso separamos algumas dicas que podem auxiliar nesse processo.



Até 3 anos: Nessa idade a criança é muito pequena para compreender a morte em sua totalidade. Por isso, a conversa sobre a perda deve ser mais lúdica, sem criar falsas expectativas sobre o retorno da pessoa amada que partiu.


Entre 3 e 5 anos: Ainda é difícil compreender que o ente querido não retornará, mas já é possível associar o falecimento como algo ruim e doloroso, percebendo, inclusive, as alterações emocionais dos adultos.


Entre 5 e 7 anos: A partir dessa fase, os questionamentos começam a ficar mais profundos e a criança passa a ter a noção de que o “para sempre” não talvez não exista.


Entre 7 e 10 anos: Embora a compreensão seja mais clara, talvez possa existir a dificuldade em expressar os sentimentos, por isso, um acompanhamento psicológico seria essencial, principalmente nessa fase.



Entre 10 e 12 anos: A partir dessa idade a conversa deve ser mais direta e transparente em todos os momentos, porém, de forma mais leve e cautelosa. Escrever uma carta, fazer um desenho, olhar fotos e recontar histórias, também são alternativas que proporcionam mais aconchego e ajudam a atenuar a dor da perda.



Embora os cuidados citados acima sejam essenciais, a criança merece uma oportunidade de despedida, portanto, reforçar as recordações positivas com a pessoa que partiu pode trazer mais conforto.

4 visualizações0 comentário